quarta-feira, 30 de março de 2016

Saudades de tudo que ainda não vi

O nosso universo não está sozinho. Outros universos podem existir. Além disso outros universos podem estar sendo criados agora. É o chamado Multiverso. Se fosse possível visitar todos os universos, poderíamos ver que alguns possuem a propriedades básicas simples da natureza que a matéria como conhecemos não existiriam.

Outros podem ter galáxias, planetas e estrelas muito familiar, mas com algumas incríveis diferenças.

Essa teoria mostra que o universo começou a 14 bilhões de anos numa explosão muito violenta. Ao longo de bilhões de anos o universo se esfriou e aglutinou tendo consequência a criação de estrelas, planetas e galáxias. Com o resultado da explosão o universo continua expandindo até hoje.  Mas se pudéssemos passar a história do universo ao contrário até o começo de tudo, veríamos que a teoria do bigbang não diz nada sobre o que arremessou tudo para fora. O problema da teoria do bigbang não é o seu resultado, sim o que causou essa grande explosão, o que existia antes disso.

Então qual foi o motivo dessa explosão violenta, que força é essa que possa ter arremessado tudo para fora? A busca pelas respostas colocou os cientistas cara a cara com os multiversos. Segundo cientistas do MIT, numa descoberta matemática, evidenciou-se que ambientes extremos no inicio do universo a gravidade trabalharia ao contrário. Essa gravidade repulsiva afastaria tudo de si causando a grande expansão. Escrita matematicamente essa força era tão poderosa que poderia pegar um espaço tão pequeno quanto de uma molécula e expandir para o tamanho da via láctea dentro de um milionésimo de um bilionésimo de um piscar de olhos.

Depois dessa curta explosão para fora o universo continuaria a expandir, mas de uma forma mais lenta e esfriaria permitindo que estrelas e galáxias se formassem. Esse estudo ficou chamado de "inflação". Depois desse estudo lançado e comprovado com dados vindos do primeiro satélite surgiram dois cientistas russos e descobriram que dentro da equação da inflação escondiam um segredo impressionante. O nosso universo pode não estar sozinho.

O que descobriram dentro dessa matemática? Que o bigbang não foi a única explosão que aconteceu. Aconteceram muitas explosões antes e muitas outras aconteceram no futuro. Era um novo cenário impressionante e inesperado onde a inflação pararia em umas regiões mais continuaria em outras. Novos bigbangs estão sempre acontecendo. Novos universos estão sempre nascendo.

Os cientistas descobriram que ao invés do universo estar desacelerando por causa dos campos gravitacionais ele está na verdade é se expandido. E a força que faz o universo se expandir é chamado de energia escura.

O sol, está distante de nós nada menos de 150 milhões de quilômetros.
Escrevemos e pronunciamos sem dificuldade esta cifra - 150 milhões de quilômetros – mas não formamos ideia dessa extensão. 

Centenas de quilômetros – já é distancia enorme ... Mil quilômetros – começa a vacilar a imaginação .... Cem mil quilômetros – desfalece a mais robusta fantasia... 
Um milhão, cem milhões, milhares de milhões de quilômetros – calam-se todas as nossas faculdades imaginativas.

Com diz Steven Halkins: O ser humano não têm a capacidade de compreender o tamanho do universo.

É sabido que o raio luminoso percorre por segundo 300.000 quilômetros. A distância terra-sol, como foi dito, comportaria, em número redondo, 150 milhões de quilômetros, trecho esse que a luz solar devora em 8 minutos e 15 segundos.

Ora, o espaço em cujo percurso a raio luminoso levaria um ano inteiro é que se denomina ano de luz, e é esta a nova unidade de medida astronômica. Corresponde, aproximadamente, a 9.450.800.000.000 de quilômetros. 

Apesar da estupenda velocidade da luz e dos inconcebíveis espaços que ela percorre em um ano de vertiginoso vôo, a luz da estrela mais próxima – alfa centauri – leva mais de quatro anos para atingir o nosso planeta. Quer dizer que, se neste instante se extinguisse a luz desse astro, nós, habitantes da terra, continuaríamos a vê-la ainda brilhar no firmamento por mais de quatro anos consecutivos. 

A estrela fixa mais próxima da terra, como foi dito, dista de nós, mais de 4 anos de luz, ou seja, 280.000 vezes a distância do sol 

Comtemplamos a formosa constelação do Orion. No centro rutila o áureo boldrié cercado pelo luminoso trapézio, uma de cujas pontas é formada pela estrela Riga, de luz muito intensa. Riga dista de nós 320 anos de luz, o que equivale dizer que os raios luminosos que neste momento ferem a nossa retina deixaram a superfície desse astro 320 anos antes do nosso tempo, lá pelos fins da Idade Média. Enquanto se precipitavam pelos espaços e, parcialmente, ao encontro da nossa terra, com a velocidade constante de 300.000 quilômetros por segundo, continuava a desenrolar-se cá em baixo o drama da humanidade; travaram-se guerras e assinaram-se tratados de paz; nasceram e baixaram ao túmulo milhões de homens, etc. Nesse meio-tempo nascemos também nós, demos muito que fazer e sofrer aos nossos pais, ensaiamos os primeiros passos, aprendemos o beabá e os mistérios da tabuada; lemos a “mil e uma noites” ou os contos de Pedro Ivo; penetramos talvez nas acrópoles do humano saber, onde eruditos professores nos desvendaram os segredos do verdadeiro e do belo – e, certa noite, nos lembramos de contemplar o céu estrelado e demos com um grande astro encravado na constelação do Orion – a nossa Riga. Alegrou-nos o seu meigo cintilar, mas nem sequer suspeitamos que aquelas luminosas emanações não partiam da estrela nessa noite, nem neste ano, nem neste século – mas daí partiram há 320 anos, quando de nós e de nossos pais nada existia sobre a face da terra .... Durante esses 320 anos se aproximavam do nosso planeta com a velocidade de 300.000 km por segundo – e só agora chegaram.

À força de engenhosos cálculos e pacientes deduções conseguiu o homem verificar que a luz de algumas dessas fosforescentes nebulosas da via-láctea leva 30.000 anos para alcançar o nosso modesto planeta. 

E estamos falando de um grão de areia em uma enorme praia no que se refere aos exemplos que demos aqui versus o tamanho do universo. Quantas possibilidades existem, quantos planetas a se descobrir, quantas energias, matérias, propriedades e leis de física que ainda é desconhecido a nossa física. O que teremos aprendido daqui a 100 anos, 200 anos? Será que o homem já terá montado uma estação espacial em marte? Ou descobriu um planeta distante, mas que haja possibilidade de uma vida mesmo que seja vegetal?

Entre trilhões de possibilidades será que não seria sensato e lógico que um planeta surgisse em algum lugar do universo que também tenham a atmosfera que suportasse seres vivos?

Será que os humanos daqui a 500 anos vão descobrir como viajar na velocidade da luz? E viajando a velocidade da luz visitar outros planetas que seriam impossíveis atualmente? E será possível que encontre um planeta que esteja em processo evolutivo de alguma espécie e que possamos monitorá-los?

Mesmo descobrindo a velocidade da luz o ser humano não conseguiria viajar para a maior parte do universo, visto que muitos possuem mais de 100 anos luz de distância e o homem talvez não viveria o suficiente para ir e voltar de lá.

Será que daqui a 1000 anos descobriremos o teletransporte? Talvez como utilizar o buraco de minhoca? Talvez descobrir o que tem após ou dentro de um buraco negro?

A terra nada mais é que um simples planeta na imensidão deste universo ainda em expansão.

Esse texto começou falando de multiversos e isso é que impressiona. Até o momento estamos falando de distancias, possibilidades dentro do nosso universo. Mas o nosso universo pode ser “um” dentro centenas de milhares de outros.

Quando a ciência achava que o biggang era o inicio de tudo, ela na verdade descobriu que o bigbang é apenas um acontecimento simples para expansão de um universo e que existe muita coisa atrás desse evento para se descobrir.

Ok, mas você deve estar se perguntando:

Legal as informações mas o que tem isso haver com o Parkinson?

- NADA!!!

Mas gostaria de lembrar que devemos nos preocupar com coisas que realmente valam a pena. 

Não se ocupe com coisas que não tem valor, não se prenda a problemas mesquinhos, não trate as pessoas de maneira maldosa, não deixe que a ignorância de uns acabe com o seu dia, não permita que uma fechada no transito comece uma briga, não perca tempo com quem não te dá valor. Ame, mesmo que seja do seu jeito, diferente, esquisito mas ame. Algumas pessoas amam mas não sabem como demostrar. 

Mantenha seus amigos próximos ou vai acaber sozinho. Mantenha a família próxima, mas ao contrário dos amigos sua família não te deixará só. Ame cada um de uma forma diferente, pois cada pessoa tem um jeito diferente de ser amado.

Não banalize seus sentimentos. Não deixe outras pessoas julgarem seus sentimentos ou melhor, não se preocupe com o julgamento de outros. Não julgue os sentimentos de alguém.

Confie no seu próprio talento e não deixe que comentário negativos te façam desistir do que você quer. Existe muita gente que vai querer parar voce, então aproveite essas pessoas apenas para pegar impulso.

Aproveite cada momento na sua vida. Esforce-se para que toda ação tenha um objetivo maior. Ria mais. Sorria mais. Ria das piadas sem graça. Ria de voce mesmo. 

Ria da morte. Não, não deixando de a respeitar mas lembrar-se que ela é inevitável e que o mundo não para de girar. Recolha os cacos e levante-se. 

Leia mais livros. Não se compare a revistas de beleza. Não torne sua vida banal. Persista em mostrar o que vocé é e não o que voce tem atualmente, pois tudo isso é vaidade. 

Faça o mesmo trajeto do trabalho para casa mas por outros caminhos. Não caia na rotina. Viva. Não sobreviva.

Agradeça sempre que alguém for gentil com voce. E se não forem, agradeça mesmo assim. A gentiliza gera gentiliza e educação e simpatia apartam mal humor indesejável.

Não deixe que uma pessoa mal educada molde suas atitudes. Dê "bom dia" para ela mesmo se ela não te cumprimentou. Não deixe que ela controle suas ações.

Case-se, forme uma família. Mas lembre-se, esteja certo de sua escolha pois o tempo é curto para voce procurar a parceira ou parceiro ideal. Casamento é muito bom mas quando casa-se com a pessoa certa.

Não acredite que voce encontrará a pessoa certa. Pessoas sem defeito é impossível. Seja maleável. Não voluvel e sim maleável.

Tenha um filho e se possível, e aproveitando para ser gliche, plante uma árvore. Mexa mais com a terra do que atualmente voce faz. 

Não jante ou almoce na frente da TV. Coma sempre com a família reunida na mesa, voce vai ver como isso fortalece os laços de amor e de como isso vai fazer falta no futuro.

Somos tão pequenos em relação ao universo...que nossas dúvidas e preocupações se tornam minusculas comparada as possibilidades e a grandeza dessa maravilha.