quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Afinal, amar ao próximo é tão Démodé

Qando tenho oportunidade gosto de conversar com as pessoas que eu não conheço. Na rua, em filas, em restaurantes e gosto de ouvir suas histórias. Normalmente, sem nenhum receio, pergunto: Qual a sua motivação? O que te faz acordar todas os dias e levantar da cama?

É uma pergunta para se fazer a quem voce mal conhece? Não. Mas mesmo assim eu faço.

Tive minha documentação de motorista vencida. Então tive que realizar o exame médico novamente para renovar a carteira. Devido a alguns problemas de vista tive que ser encaminhado para uma segunda consulta de revisão.

Bem, ao chegar ao local estava na sala esperando pelo atendimento e notei que tinha algumas pessoas também na fila aguardando. Fiquei curioso para saber porque estavam ali, pois de alguma maneira. também tinham sido reprovadas no primeiro exame médico.

Primeiro reparei em uma Senhora que estava  com várias documentações na mão e impaciente balbuciando algum tipo de reclamação. Logo perguntei para ela porque ela estava ali e tive a seguinte resposta:

- Eu estou aqui para provar que tenho braço.

Oque? ? ?!!! Exclamei.

- No meu último exame médico o aparelho disse que eu não tenho braço esquerdo.

E eu novamente perguntei:

Oque? ? ?

- Sim. Eu não consegui tirar a carteira pois o laudo médico disse que eu não tenho braço.
Sem nenhum remorso eu iniciei uma risada que contagiou a todos na sala.

Fiquei imaginando ela caíndo em uma blitz e ter que explicar para o policial que ela tinha um braço mas que a documentação falava ao contrário. O policial iria falar:

- Olha minha senhora, aqui diz que a senhora não tem braço, mas a senhora tem btraço. Vou ter que apreender senhora por ter um braço a mais.

O que ela poderia dizer em seu favor?

- O seu policial, o braço cresceu dinovo.

Olha a senhora vai ter que pra delgacia para explicar esse braço a mais.

A minha última pergunta a mim mesmo é como ela deixou e assinou a documentação de que ela não tinha braço no momento do exame inicial.

Bem, neste momento em que estávamos confabulando sobre o que poderia acontecer futuramente com sua documentação, adentra ao recinto uma senhora na faixa de 50 anos de idade com muita dificuldade para andar e se locomover. Com o auxilio de uma bengala demorou quase 5 minutos para chegar a sala e sentar-se adequadamente.

Como de costume perguntei porque estava ali. E novamente fui surpreendido. A reposta dela foi:
- Estou aqui para tirar minha carteira na minha moto nova.

Oque? ? ?!!!  Exclamei.

Comprei uma moto nova e reque renovar a carteira para essa moto, disse ela.

E eu disse:

-oque? ? ? Renovar? ? ?

A senhora já tinha carteira, perguntei admirado.

- Sim, já tive 2 motos anteriormente.

E eu perguntei:

- O que? ? ?

É por isso que gosto de conversar com todo o tipo de pessoa. Voce encontra várias surpresas na vida de cada uma. E mesmo parecendo que a vida de um é parecida rotineiramente com a vida de outro, sempre existem curiosidade e peculiaridades que nos fazem refletir e nos fazem crescer de alguma forma. Aprendemos a rir juntos com os problemas e a entender que muita coisa pode ser superada sem nenhuma autopiedade.

Por mais que no dia voce esteja estressado, mal humorado e sem vontade de cantar uma bela canção, não perca a oportunidade de conhecer novas pessoas. E ao conhecer tente ouvir ao invés de falar. Lembre-se que conhecer histórias de vida diferentes o ajudará a centralizar a sua. Não julgue, não condene, não dê sua opinião baseado nos seus valores ou experiência, não dê conselhos (pois conselhos são uma forma de nostalgia. É como pegar o seu passado em uma lata de lixo, limpá-lo e vende-lo por um preço muito maior do que ele vale).


Apenas “ouça” .

Nenhum comentário:

Postar um comentário