domingo, 11 de setembro de 2016

Um Barco a Motor precisa usar os Remos?

Quando mudamos nos tornamos mais fortes. 
Essa é uma verdade que eu sempre discursei mesmo antes do aparecimento do Parkinson. 
Eu acredito fielmente que toda a mudança é pra melhor. Sim, exatamente. 

Mas, talvez alguns de meus leitores deve  estar pensando:

-  tá, nem toda a mudança é pra melhor. 

Quando digo que toda mudança é para melhor, na questão pessoal nos tornamos melhor em crescimento, madurez, sabedoria. Sempre, todas as mudanças, nos fortalece. Por isso, vou ainda mais longe: Toda a mudança é para melhor.
Como disse Darwin: Sobrevivem apenas aqueles que se adaptam-se a mudanças.

Quando nos confrontamos com situações difíceis ou somos atingidos pelos reverses da vida, temos a tendência de aceitar a situação e continuar em frente. As vezes, enfrentando uma depressão ou mesmo fingindo e não reagindo ao problema que te corroí.

É isso que temos de fazer. Quanto antes nos adaptarmos as mudanças mais será fácil de evoluirmos para o próximo estágio da nossa vida.
Se você foi diagnosticado com Parkinson não entre em conflito com Deus ou com o universo conspirador ou pragueje sobre seus amigos. Tente entender que a vida continua. Que o mundo não vai parar para sua doença. O transito vai continuar a existir, o padeiro da esquina da sua casa vai continuar a fazer pão todos os dias, a sua secretária não vai deixar de sempre dar um bom dia risonho mesmo sabendo que é falso. O mundo continua girando.

Por isso quem é diagnosticado com o Parkinson passa certamente no processo que chamamos de " 5 estágios do luto". 

1 -  Raiva
2 - Negação
3 - Barganha
4 - Depressão
5 - Aceitação

Certamente você passará por esses estágios. E uma coisa que é muito importante não confunda "aceitação" com "depressão". Não ache que talvez o fato de você não se importar com nada seja um quadro de "aceitação". 

Trate sua depressão!

A depressão é um problema físico e neurológico. É tratado com remédios. E não me venha com a "historinha" de que você já toma muitos remédios para o Parkinson e não vai tomar mais um remédio. 

Trate sua teimosia!

Não pare de tomar medicação e tome-a nos horários indicados pelo seu médico. Eu compreendo que você talvez ache isso uma bobagem, mas não é. Seguir com a medicação correta e nos horários é um grande fator para a estagnação da doença. 

Trate de sua soberba!

Não acredite que você saiba de tudo. Não mude a medicação ou ache que sua doença não está evoluindo e que pode diminuir a medicação. A modificação e a mudança do processo sem consultar seu médico pode lhe trazer consequências irreversíveis.

Eu sei, eu sei. É difícil na prática. Falar é fácil.
Mas lembrem-se: você se tornará mais forte se adaptar-se a mudanças.

O Parkinson com o tempo lhe dá a oportunidade de se adaptar com várias situações. Eu já tenho problema de coordenação o que as vezes faz com que o meu toque de violão seja indecifrável. Quando isso acontece saio do violão e vou para a meia lua (instrumento igual um pandorim) porque é muito mais fácil para quem está tremendo tocar um pandeiro. Tenho puxões na rosto, que são movimentos involuntários, que eu disfarço como se fosse um bocejo. Devido a enrijecimento das pernas que aconteceu nesses últimos meses não consigo jogar futebol, mas consigo ser um ótimo goleiro.

Infelizmente problemas de limitação vão surgir, o levando a deixar de fazer coisas que antes gostava.

Aqui eu friso: Não estou dizendo que deve desistir de fazer o que gosta por causa do Parkinson. Estou dizendo apenas que o seu mundo não precisa parar, mesmo não conseguindo fazer isso ou aquilo. 

Se lutou, enfrentou corajosamente os desafios e mesmo assim não conseguiu, não se entregue. Não deixe seu mundo parar, faça alguma coisa que compense isso e que lhe deixe feliz.

Citando Shakespeare: Plante o seu jardim e faça o seu trabalho, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

2 comentários:

  1. Olá, Miguel!
    Parabéns pelo texto!
    Meu irmão, hoje com 65 anos (cabeça de 30),que é publicitário,compositor, foi diagnosticado com DP há dois anos, e a primeira médica que o atendeu, receitou-lhe ALTAS DOSES DE PROLOPA e outros fortes, sendo que os sintomas eram brandos. Recentemente, havendo piorado, a atual médica ficou CHOCADA com a medicação inadequada que ele vinha consumindo, indicada pela "tal doutora". Agora ele já criou resistência a alta doses dos remédios, que talvez ele tivesse que tomar só daqui a algum tempo... Ele tem câimbras e dores terríveis na perna esquerda. Sem corujice, ele é tão talentoso, culto,inteligente, e anda muito desanimado, falhando na academia, onde fazia fisioterapia e bicicleta.Conclusão:está piorando... MIGUEL! Gostaria muito que ele te conhecesse! Vi que você tb toca violão etc... PENSEI EM A GENTE CRIAR UM GRUPO DE PESSOAS COM DP, QUE SÃO ARTISTAS E APRECIAM...Já que novidades, novos Projetos (viáveis) são altamente estimulantes (geram endorfinas!), o que é que você pensa sobre esta ideia? Posso aguardar seu retorno?! Agradeço-lhe, desde já. Abs,Olímpia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Olimpia!
      Que bom que gostou do texto!
      Estou em divida com você, me desculpe não ter lhe respondido na época.
      Como está seu irmão? Me manda noticias.
      UM ABRAÇO..

      Excluir