terça-feira, 14 de novembro de 2017

Perfeição

Inicio o post de hoje citando Albert Ainsten que disse: 
"a perfeição dos meios e a confusão de objetivos, caracterizam a nossa era."

O Prolopa não é uma medicação muito barata, pelo menos para mim, que tenho o mesmo padrão econômico da maioria dos brasileiros.

E quando estamos precisando de ajuda para conseguir nossa medicação a quem procuramos primeiro?
Exatamente, o governo. 
Talvez você pense que estou sendo sarcástico, mas dessa vez não. Poderia até ser, mas dessa vez não. Realmente eu estou elogiando a nossa secretaria de saúde, pelo menos a de Minas Gerais que se localiza em BH. Melhor, eu  nunca tive nenhum problema em receber medicação pelo governo do estado. Muito pelo contrário, tudo o que precisei ate hoje fui muito bem atendido por esse departamento. Não ligo de esperar 3 horas para pegar a medicação, pois o que seriem 3 horas do meu mês inteiro para ter toda a minha medicação grátis!

Se por acaso tivesse que comprar com o meu dinheiro seriam pelo menos R$ 1000,00 reais por mês. Eu não me importaria nem um pouco se tivesse de ficar  até o dia inteiro na fila  esperando, para pegar o medicamento. Lembrando, caros amigos, estou pegando de graça.

Imagino que estejam pensando:

- Receber medicamento para doenças cronicas é meu direito, para isso pagamos os impostos. 

Ótimo, concordo plenamente com você. Não estou nada mais que fazendo a minha parte em fazer o governo ressarcir as minhas contribuições através dos medicamentos e por esse motivo que também sei que ela não está fazendo nenhuma doação de caridade.

Quando você precisa de uma medicação controlada que o seu médico lhe passa ou qualquer outra medicação, a maioria das pessoas nem tem a curiosidade de pergunta-lo se é concedida pela secretaria de saúde... Ou nem perguntam, porque acham muito mais comodo pagar do que correr atrás de documentação e os tramites gerais para ter a aprovação do governo.

Quando vou pegar minha medicação, vejo muitas pessoas na fila da secretaria esperando algumas horas e reclamando de tudo e de todos. Reclamam porque não tinham onde sentar, que o lugar era apertado e que tinham que ficar em pé na fila. Mas eu sempre pergunto:

- Quanto custaria esse remédio seu, caso você tivesse de compra-lo?

Ouvi respostas de R$300,00 a R$5000,00. E mesmo assim ficar 3 horas na fila "por mês" é difícil.?

Já faz alguns anos que a secretaria de saúde de Belo horizonte passou para um outro local. O atendimento desde essa mudança melhorou consideravelmente. Hoje quando  vou buscar a medicação, fico no máximo 30 minutos para receber, independente se tem 30 ou 100 pessoas na minha frente . O motivo disso é que existem hoje uns 70 atendentes. Ninguém fica em pé, ao comparecer na data e horário agendado, sendo  pontual, você será atendido imediatamente. Não dá tempo nem de  assentar, pois quando a senha e se encaminha para sentar,  logo é chamado.

O mais intrigante e talvez mais "humano" que a gente presencia nisso é que antigamente, onde era a secretaria, não tinha lugares suficientes para sentar, demorava um pouco (tempo nunca me incomodou) , o local era um pouco precário e muito quente.

Hoje, o lugar é totalmente diferente e nos dias quentes de verão ainda podemos ouvir:

- Nuuuuu, precisa disso! Esse ar condicionado está muito gelado. Vou pegar uma pneumonia.

E eu reflito comigo mesmo, como as pessoas nunca estão satisfeitas com aquilo que possuem. Tudo bem, o ar condicionado está gelado,  então, leva uma blusa, um agasalho, sei lá, leva um cobertor elétrico. Mas, lembre-se que a sua negatividade e o seu mau humor não vai fazer diferença.

Algumas pessoas que ainda tem ou acham que tem razão para reclamar do tempo de atendimento, às vezes, pergunto:

- Hoje é o dia e horário que marcou para pegar sua medicação?

Normalmente a pessoa, responde sempre olhando fixamente para a tela de senhas, mesmo que a senha dela esteja a uma numeração de 40 números a sua frente, e com a maior naturalidade do mundo, diz:

- Não é hoje não. O  dia que agendei,  já passou a muito tempo!

Prefiro me afastar para digerir esse tipo de resposta.

Aonde quero chegar com tudo isso:

 - O mundo, os governos, as pessoas, a sua família não vão parar o que estão fazendo para buscar nortear de uma forma benéfica o que é de direito seu, todos  tem seus problemas, suas rotinas, seu dia a dia.
- Você está fazendo o necessário para ter os seus direitos? Ou  está reclamando que o governo não está batendo em sua porta e o  pegando no colo e levando, ou melhor, te dando "seu" problema resolvido? 
Não ache que ficar estagnado reclamando de tudo e todos, que vai surtir alguma diferença. Mova-se. É sua escolha, usufruir do direito que é seu ou não.  

Comecei com uma frase de Albert Ainsten vou terminar com ele também. Ele tinha uma frase muito cabível nessas hora:

- Uma coisa é você achar que milagres não existem e outra bem diferente é você achar que tudo que existe na sua vida é um milagre. 







sábado, 11 de novembro de 2017

PROLOPA - O MEU PRINCÍPIO "ATIVO"

- Eu não estou tremendo, eu não estou tremendo!!

Esses foram os meus primeiros gritos quando o Prolopa começou a fazer o efeito.A única coisa que eu não tinha reparado neste momento de externizar minha euforia é que eu estava em uma das avenidas mais movimentadas de Belo Horizonte, que por ironia da situação  tem o nome de "Afonso PENA". 


Eu estava tão surpreendido que ao terminar de gritar uma homem de mais ou menos 35 anos, vestido com um terno listrado e um sapato de azul camurça que combinava com sua gravata, muito elegante, também deu um grito:


- Que legal!!! Parabéns!!!


Eu sinceramente não sei se ria ou chorava. Essa dúvida em relação aos meus sentimentos, naquele exato momento, não era mais pelo efeito benéfico do remédio, mas sim, pelo interesse de uma pessoa que nunca me viu e pelo desprendimento em dizer apenas 3 palavras, que de alguma forma ficaram muito enraizadas em meu coração e na minha mente.


Mas, vocês devem estar se perguntando:

-  não foi você que disse que o tremor no parkinson é o que menos incomoda??


Sim eu disse!!!


Mas naquele momento em que o Prolopa fizera efeito, a primeiro pensamento é que haveria um efeito dominó.


E realmente aconteceu!!!


Todas os sintomas do parkinson começaram a desaparecer aos poucos, inclusive o grande vilão para mim, que é a falta de coordenação.


Para vocês entenderem por que a coordenação é super importante para mim, nas primeiras histórias deste blog, contei que sempre fui um praticante de esportes, desde futebol, handebol, vôlei, peteca, basquete, tênis mesa, futebol de botão, musculação e tudo isso precisa de muita coordenação. Mas tem outra coisa que sempre amei fazer e faço bem, é digitar no computador e rápido, incríveis  200 toques por minuto. Tudo isso graças ao bom e velho curso de datilografia (o quêeeee!!!!!! curso de quê??????) eu sei, é difícil entender essas coisas antigas, se você é de uma geração mais nova, pesquisa no Google, vai amar saber a historia da datilografia, a precursora do teclado do computador, com uma pequena diferença: se errar rasura a folha enquanto no computador é só usar o corretor ortográfico. Podem até me chamarem de antiquado ou velho, mas eu gostava.


Parecia surreal! Já havia tomando o Mantidan e o Sifrol por mais de 8 anos e chegou ao ponto de tomar a dosagem máxima e nada, mas quando tomei o santo Prolopa em 2 dias estava me sentindo como antes, livre para movimentar sem tremer. 

Foi  surpreende,  um momento de distração e senti que o meu tremor tinha sumido completamente. Horas depois percebi que toda a minha coordenação tinha voltado. 

Com esse pensamento ainda vivo em minha cabeça, peguei o carro e fui correndo para a minha casa, e fui direto ao quarto onde guardava o grande acervo da várias coisas que ao longo do tempo me vi sem condições de usar. Abri a primeira gaveta e lá estavam elas, minhas cordas de vilão: lindas, reluzentes, cordas de cobre, intactas do jeito que eu deixei da última vez que tocara o meu violão. Peguei o violão e como se estivesse em um clip musical fui pegando corda por corda e carinhosamente fui colocando uma por uma em seus devidos lugares. A cada corda que inseria ressoava nos meus ouvidos as notas ainda que muito desafinadas, mas uma composição linda, cheia de sincronias e razões incompreensivelmente saudosistas deste velho apaixonado.

Depois de colocadas todas as cordas eu coloquei o meu violão na minha frente, e fiquei ali por minutos observando. Ainda que a ansiedade de se seríamos assíncronos depois de muito tempo, também me corroía um certo medo e aversão a ideia de estar enganado em relação ao minha tese "prolopenha".

Decidi pegar o violão e sem nenhuma pretensão começo a tocar uma musica do legião "Metal contra as Nuvens", e quando finalizo  a introdução, bestificado pela destreza a que me apoderava naquele momento de voltar a tocar de uma maneira tão rápida e suave, sou acordado de minha fase êxtase hipnótica por uma musica do Evanescence que vejo vir do meu celular que estava na sala. Corri para pegá-lo e era a minha esposa (atualmente ex-esposa) perguntando: onde você está? com uma voz nada bem humorada, porque não estava me encontrando na rua.

Nesse momento, me lembrei que ela havia ido fazer umas compras e como eu não tenho o mínimo de paciência para andar no meio de multidão, então eu fui perambular pelas ruas mais vazias.  Quando eu parei e vi o que estava acontecendo comigo, meu primeiro impulso pegar o carro e ir para casa fazer o que mais tinha saudade: tocar. Por isso, acabei a deixando para trás.

Sim amados, não me julguem porque tinha esquecido minha esposa. Não foi um esquecimento, foi apenas um estado de excitação que eu estava...

...Quem eu quero enganar...

Esqueci mesmo, completamente! 



quarta-feira, 8 de novembro de 2017

ME ENCONTRANDO NESTE VASTO UNIVERSO!!!! PARTE 3

Ufa!! Chegamos no que podemos dizer o fim desta saga de me encontrar neste vasto universo. Viajamos ao infinito para descobrir que tudo isso não faz diferença, somos terráqueos e dos mais desenvolvidos os Parkinsonianos. Tudo a ver kkkkk!


Legal as informações, mas o que tem isso haver com o Parkinson?



- NADA!!!



Mas gostaria de lembrar que devemos nos preocupar com coisas que realmente valham a pena. Não se ocupe com coisas que não tem valor, não se prenda a problemas mesquinhos, não trate as pessoas de maneira maldosa, não deixe que a ignorância de uns acabe com o seu dia, não permita que uma fechada no transito comece uma briga, não perca tempo com quem não te dá valor. Ame, mesmo que seja do seu jeito, diferente, esquisito mas, ame. Algumas pessoas amam, mas não sabem como demostrar. 



Mantenha seus amigos próximos ou vai acabar sozinho. Mantenha a família próxima, mas ao contrário dos amigos, sua família não te deixará só. Ame cada um de uma forma diferente, pois cada pessoa tem um jeito diferente de ser amado.



Não banalize seus sentimentos. Não deixe outras pessoas julgarem seus sentimentos ou melhor, não se preocupe com o julgamento de outros, para isso você também não deve julgar os sentimentos de outros. Confie no seu próprio talento e não deixe que comentário negativos te façam desistir do que você quer. Existe muita gente que vai querer parar você, então aproveite essas pessoas apenas para pegar impulso.



Aproveite cada momento na sua vida. Esforce-se para que toda ação tenha um objetivo maior. Ria mais. Sorria mais. Ria das piadas sem graça. Ria de você mesmo. Ria da morte. Não, não deixando de a respeitar, mas lembrar-se que ela é inevitável e que o mundo não pára de girar. Recolha os cacos e levante-se. Leia mais livros. Não se compare a revistas de beleza. Não torne sua vida banal. Persista em mostrar o que você é e não o que você tem atualmente, pois tudo isso é vaidade. Faça o mesmo trajeto do trabalho para casa, mas por outros caminhos. Não caia na rotina. Viva. Não sobreviva.



Agradeça sempre que alguém for gentil com você. E se não forem, agradeça mesmo assim. A gentileza gera gentileza e educação e simpatia apartam mal humor indesejável.Não deixe que uma pessoa mal educada molde suas atitudes, dê um "bom dia" para ela sempre que a ver e sorria .....

Se case, forme uma família, não esqueça, a felicidade vai depender da sua escolha, e leva tempo para achar a parceira ou parceiro ideal. E tempo é o que temos de aproveitar a cada dia. Casamento é muito bom, quando encontramos a pessoa certa. Mas não idealize ou fantasie que encontrará a pessoa certa, mas lembre-se  pessoas sem defeito é impossível. Seja maleável, não volúvel.Não jante ou almoce na frente da TV. Coma sempre com a família reunida na mesa, você vai ver como isso fortalece os laços de amor e de como isso pode fazer falta no futuro.


E aproveitando para ser clichê, plante uma árvore. Mexa com a terra, mais do que atualmente faz, isto energiza, dá paz e nos mostra que somos tão pequenos em relação ao universo...que nossas dúvidas e preocupações se tornam minúsculas comparada as possibilidades e a grandeza dessa imensidão que é a vida.

Um tremendo abraço a todos ....

ME ENCONTRANDO NESTE VASTO UNIVERSO!!! PARTE 2

Continuo a pensar .....

O bigbang não foi a única explosão que aconteceu. Aconteceram muitas explosões antes e muitas outras acontecerão no futuro. Era um novo cenário impressionante e inesperado onde a inflação pararia em umas regiões, mas continuaria em outras. Novos bigbangs estão sempre acontecendo. Novos universos estão sempre nascendo. Os cientistas descobriram que ao invés do universo estar desacelerando por causa dos campos gravitacionais ele está na verdade é se expandido. E a força que faz o universo se expandir é chamado de energia escura.

O sol, está distante de nós nada menos de 150 milhões de quilômetros.

Escrevemos e pronunciamos sem dificuldade esta cifra - 150 milhões de quilômetros – mas não formamos ideia dessa extensão. Centenas de quilômetros – já é uma distância enorme ... Mil quilômetros – começa a vacilar a imaginação .... Cem mil quilômetros – desfalece a mais robusta fantasia... Um milhão, cem milhões, milhares de milhões de quilômetros – calam-se todas as nossas faculdades imaginativas.
Com diz Steven Halkins: O ser humano não têm a capacidade de compreender o tamanho do universo.

É sabido que o raio luminoso percorre por segundo 300.000 quilômetros. A distância terra-sol, como foi dito, comportaria, em número redondo, 150 milhões de quilômetros, trecho esse que a luz solar devora em 8 minutos e 15 segundos.Ora, o espaço em cujo percurso o raio luminoso levaria um ano inteiro é que se denomina ano de luz, e é esta a nova unidade de medida astronômica. Corresponde, aproximadamente, a 9.450.800.000.000 de quilômetros. 

Apesar da estupenda velocidade da luz e dos inconcebíveis espaços que ela percorre em um ano de vertiginoso voo, a luz da estrela fixa mais próxima, ou seja, 280.000 vezes a distância do sol  – alfa centauro – leva mais de quatro anos para atingir o nosso planeta. Quer dizer que, se neste instante se extinguisse a luz desse astro, nós, habitantes da terra, continuaríamos a vê-la ainda brilhar no firmamento por mais de quatro anos consecutivos. À força de engenhosos cálculos e pacientes deduções conseguiu o homem verificar que a luz de algumas dessas fosforescentes nebulosas da via-láctea leva 30.000 anos para alcançar o nosso modesto planeta. 

E estamos falando de um grão de areia em uma enorme praia no que se refere aos exemplos que demos aqui versus o tamanho do universo. Quantas possibilidades existem, quantos planetas a se descobrir, quantas energias, matérias, propriedades e leis de física que ainda é desconhecido a nossa física. O que teremos aprendido daqui a 100 anos, 200 anos? Será que o homem já terá montado uma estação espacial em marte? Ou descobriu um planeta distante, mas que haja possibilidade de uma vida mesmo que seja vegetal?Entre trilhões de possibilidades será que não seria sensato e lógico que um planeta surgisse em algum lugar do universo que também tenham a atmosfera que suportasse seres vivos?Será que os humanos daqui a 500 anos vão descobrir como viajar na velocidade da luz? E viajando a velocidade da luz visitar outros planetas que seriam impossíveis atualmente? E será possível que encontre um planeta que esteja em processo evolutivo de alguma espécie e que possamos monitorá-los?

Mesmo descobrindo a velocidade da luz o ser humano não conseguiria viajar para a maior parte do universo, visto que muitos possuem mais de 100 anos luz de distância e o homem talvez não viveria o suficiente para ir e voltar de lá.Será que daqui a 1000 anos descobriremos o teletransporte? Talvez como utilizar o buraco de minhoca? Talvez descobrir o que tem após ou dentro de um buraco negro?

A terra nada mais é que um simples planeta na imensidão deste universo ainda em expansão.


Um tremendo abraço a todos,

Rui.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Porque esperar se podemos começar tudo de novo?



Se existe um lugar onde gosto de ir hoje em dia é a farmácia.

O quêeeee? Deve ser viciado em remédios! Você pode pensar. Mas não é por isso, apesar de ser dependente dos remédios que controlam os sintomas do Parkinson.
Mas o que me torna tão assíduo num estabelecimento tão incógnito? Bem, existe uma farmácia em Minas Gerais que mais se parece com um hipermercado do que aquelas farmácias propriamente dita, elas se tornaram um tipo de departamento de conveniência. Você pode encontrar de tudo lá. Desde de produtos de beleza, Ração de cachorro, pilhas, fones de ouvido, todos os melhores tipos de chocolates, bebidas, banco 24 horas, muletas, chips, almofadas, produtos de agropecuária, produtos fitness, brinquedos para gatos e como eu sempre digo você consegue encontrar até remédios. E como é um hipermercado de saúde padronizado, independente em qual bairro ou cidade você vai encontrar uma dessas, que são exatamente umas iguais as outras, posso ir direto onde eu quero.
Sem muitas delongas, quero que entendam o por que gosto de ir a farmácia. Tem coisas que nem no supermercado Carrefour eu consigo encontrar, mas encontro na farmácia. 
Um certo domingo a noite quando estava indo para a farmácia para comprar um soro fisiológico para a meus olhos, e uma caixa de mantidan (remédio para o Parkinson) e por estar com a falta de um dia de medicação já estava um pouco lento, mas naquele dia estava com a pretensão de gastar em torno de 4 reais, acabei demorando um pouco mais e tive um gasto de R$ 60,00 porque aproveitei para comprar coca-cola, 3 barras de chocolate que saíram a R$ 3,00 reias cada devido a uma promoção que a atendente que fica no caixa sempre oferece para bater suas metas de vendas. O mais intrigante é que mesmo a atendente me vendo segurar 3 barras de chocolate, uma coca, 2 sorvetes, um de chocolate e outro de creme, ela ainda me oferece a promoção de 3 caixas de BIS. Será que ela não reparou na minha compra quando ela passou os produtos?
Não importa. Levei o BIS mesmo assim. Por favor não me julguem.
Bem chegando no carro no estacionamento que era de frente para a farmácia e de costas para a avenida principal, na minha ânsia em chegar em casa e tomar o remédio engatei uma ré que foi seguida de um som que eu náo consigo reproduzir em palavras mas quem dirige sabe o barulho que a embreagem faz quando a você náo pisa corretamente para engatar uma marcha. Quando consegui engatar a ré corretamente e me movi cerca de um metro para traz senti um impacto.
Pronto, olhei para o retrovisor e vi um senhor de bengala caindo ao chão. Fiquei um pouco desnorteado,  abri a porta do carro e subitamente fui verificar se estava tudo bem com o Senhor que não me olhava nos olhos, com isso já imaginei que ao levantar ele não seria nada gentil. Para tentar reverter a situação e não deixar com que ele me chamasse a atenção resolvi usar a teoria de que a melhor defesa é o ataque e perguntei de uma maneira bondosa mas com uma pitada de `estou chamando sua atenção`:
- o senhor não viu que eu estava dando ré? O senhor tem que prestar atenção no transito porque na sua idade o transito se torna perigoso e tem muitas pessoas maldosas por ai.
O senhor bondosamente mas deixando transparecer a rispidez em sua voz me interrompe e diz:
- Meu amigo, eu sou CEGO!!!
Quando ele falou isso tudo começou a fazer sentido. Ai eu me dei conta que náo posso utilizar a minha doença como desculpa para minhas atitudes. Mesmo que eu esteja ruim em certo momento ou dia, isso não me dá o direito de achar que tudo gira ao meu redor.
Resultado: Com minha conciencia pesada ajudei-o a atravessar a rua e ele em seu direito de aproveitar de minha conciencia me fez atravessar 7 ruas consecutivas. Já estava quase chegando na minha própria casa a pé mas tive que voltar para pegar o carro.
É por isso que temos que sempre tratar os outros de maneira gentil.  Muitas vezes você é surpreendido quando fala palavras educadas com pessoas que vem com 7 pedras na mão para conversar com você.
Infelizmente hoje, minha experiência de abordagem me mostra que as pessoas hoje náo estão acostumadas com a Educação e com a gentileza. Por isso quando você chega para pedir uma informação sobre como chegar a um determinado lugar, ou uma dúvida qualquer a primeira reação da pessoa é uma cara fechada e uma resposta monossilábica. A pessoa está desconfiada de você.
Mas aprendi uma técnica por experiência própria que nunca falha. Independente de qual feição esteja a pessoa que você irá conversar sempre, eu digo sempre, comece uma conversa com um sorriso aberto, largo, mostrando todos os dentes e dando um ~bom dia~ e perguntando: Como vai? Está tudo bem?
Parece um pouco invasivo, mas tenha certeza que com esse simples gesto você mudará a opinião que aquela pessoa tem de você. Com um simples sorriso você conseguirá quebrar a truculência de um dia que começou mal, um mal humor indesejável ou qualquer coisa que esteja deixando aquela outra pessoa preocupada. Quando você dá um sorriso e é educada as pessoas tendem a querer te ajudar. Isso acontece sempre.
Quando você ao invés de automaticamente dizer um bom dia sem pretenções como se a palavra ou nesse caso o cumprimento não tivesse nenhum significado as pessoas que as ouvem simplismente respondem da mesma forma que você cumprimenta:  sem objetivo, sem pretenções positivas e sem entusiasmo, pois isso é normal no nosso dia a dia, talvez até na nossa rotina medíocre.
Não amados, não estou dizendo que vocês possuem um trabalho ou uma vida medíocre,  o que estou querendo dizer é que a nossa forma de viver medianamente nos torna cada vez mais um instrumento da sociadade e acabamos refletindo tudo oque a sociedade é.
Gosto sempre de lembrar duas histórias muito interessantes, muito comuns, talvez até mesmo muito gliches, ora porque sempre é usada em palestras de auto-ajuda, livros  e filósofos na televisão. Mas como eu não tenho certeza, e acho que nunca não vou ter, de quem eu atingirei com este livro gostaria de repetir pois acho que o simples conto fará você refletir e é muito melhor e mais interessante neste estágio do livro que você possa aplicar certos conceitos da maneira que estiver mais coerente no seu dia a Dia.
Voltando ao assunto e abordando a questão da sociedade em que somos moldados ou deixamos ser levados pelo nosso Dia a dia lembro de uma historio de li a muito tempo atraz. Lembro que estava no tomando banho do banheiro do meu irmão, pois como irmão mais velho ele tinha algumas regalias, e em cima de uma sapateira marrom de plástico eu vi algumas revistas do Lair Ribeiro.  Muitos conhecem ele hoje por várias atividade que ele pratica e naquela época ele lançara vários livretos com abordagens filosóficas e uma das histórias era sobre não deixar o lugar onde você decide morar, viver, rezer, brincar, comprar,
Não deixe modar o seu modo de agir. Pelo contrário, você que deve tentar influenciar o lugar onde você está, lógico respeitando o limite de todos.
A história é de um sábio que gardara uma cidade. Todo dia de manha ele ia para a entrada da cidade e fica esperando ansionsamente um novo morador, talvez até mesmo um andarilho onde ele pudesse c onvidá-lo para morar ou ficar alguns dias em sua cidade enquanto descansava. Em um desses dias em Cima do monte, na entrada da cidade, avistara um certo homem muito bem vestido com um bengala imponente , mas o seu sorriso não era sinceiro, pois logicamente parecia estar passando por problemas pessoais. Quando chegou na entrada, o andarilho viu o sábio e depois de cumprimentá-lo perguntou:
- Sábio, como é a vida nessa cidade?  É boa? E as pessoas são felizes?
O sábio sem perder um segundo respondeu com uma pergunta:
- Caro andarilho, como era vida e sua cidade?
E o andarilho, começou a balançar a cabeça negativamete , disse: Minha cidade é horrível,’idade pessoas são triste, os jovens parecem velhos, os velhos parecerem que perderam suas identidades.
O sábio repondeu:
- Aqui é a mesma coisa meu filho, você não vai conseguir ver nenhuma diferença sobre isso.
O andarilho foi embora, como uma esperança abalada por seus objetivos totalmente jogados ao indeferente.
Dois dias passam desde aquela última visita a cidade, e quando o sábio menos espera,  aparece outra pessoa subindo o monte com seus pequenos dois filhos e sua esposa, mas alguma coisa estava diferente. Mêsmo vendo que o pai de família já estava com os suas provisões cessadas, aquele senhor , também andarilho com o sua família, brincava com os seus filhos e assubiava enquanto subia todos aquele desafio íngreme. E chegando na entrada da cidade, viu o sábio e fez a mesma pergunta que todos fazem:
- Sábio, como é essa cidade? E as pessoas? São felizer?
E o sábio respondeu com a mesma pergunta que citara várias e várias vezes:
- Como é a cidade de onde vocês vieram?
- Nossa cidade é a melhor coisa que existe,  as pessoas eram felizes, podíamos confiar em tod mundo, tínhamos prazer e orgulho daquela cidade. Que pena que saímos de La, disse o andarilho.
E qual foi resposta do sábio? Adivinhem? A mesma. Ele disse:
- Aqui é a mesma coisa. Vocês vão se sentir em sentir em casa. Sejam bem vindos.
Percebe com é explicito a forma com nós moldamos o lugar, as pessoas e também como nós fazemos o lugar onde moramo.
Isto se reflete em todas as nossas áreas, na nossa casa, no nosso emprego, com os nossos amigos.
É muito comum, e isso é independente da instituição religiosa a que as pessoas pertecem,  as pessoas reclamarem da igreja, da casa de adoração, do templo, do salão devido a problemas com outras pessoas.  Talvez uma ofensa mal explicada ou uma um desentendimento qualquer e qual é a primeira ação e consequentemente reação dessa pessoa? Mudar de local de adoração. E essa mudança resolve:
- NÃO. E escreve esse  NÃO  letras grandes para frisar com é absurdo essa ideias. Muitas= pessaos que estãso lendo agora devem estar concordando comigo  e frisando que seria mais inteliglente resoilver os problemas de frennte e não fugir deles. Novamente eu digo NÃO.  Dessa vez este tipo de observação não cabe nesse exemplo
O mais importante disso tudo e como eu ilsutrei acima, não adianta a pessoa passar de um lugar para outro, mudar, conhecer outras pessoas, outros pastores, outros amigos ou qualquer outro grupo que ela queira participar novamente. O problema que ela teve no naquela situação lá atraz, vai ocorrer novamente.
Amados eu não estou supondo que isso vai ocorrer ou não, eu estou “afirmando” isso. Nâo é nem questão de conjecturas, mas sim a mais simples, lógica e imutável matemática do universo. Se você tem um problema em algum lugar e não resolver, você é responsável por aqui e quem tem que mudar o jeito de ligar com todos e  com tudo é você, porque você pode mudar para onde for, o mais longe possível, você terá o mesmo problemas em qualquer lugar.
Sabe porque? Porque quando reagimos a problemas com esse tipo de atitude deixamos com a nossa mente seja volátio e também volúvel, pois estamos sendo influenciados, moldados e direcionados por uma pessoa que você está magoado dentro daquele circulo de amizade. A sua mente e personalidade é tão fraca que mesmo a pessoa não tendo essa intenção e talvez nem tendo o conhecimento que te ofendeu, consegue fazer com que sua mente comece a maquinar a encontrar soluções que não machuquem o seu ego. P
O seu ego provavalmente já está  um pouco baixo devida a origem da ofensa mas você está deixando que toda a sua personalidade seja deturpada pela maneira que você supõe que deveria resolver o problema. Pense um pouco nesse paradoxo. Você deixa de conversar com a pessoa e muda de grupo pois acredita que você “não merecia se ofendido assim” mas ao mesmo tempo toda a sua reação posterior, inclusive essa palavras entre aspas acima são puramente reação de uma pessoas que está sendo modificada pela forma com que o outro reage.
Bem, o que quero dizer é que nunca deixe que nenhuma pessoa influencia o seu mode de pensar ,  seu modo de agir e o seu modo de ser feliz pois não é o ambiente que lhe rodeia que te faz bem e sim você que faz bem  ao ambiente que te rodeia.

Quando se aprende a amar o mundo passa a ser seu !!!

Quanto você se ama? Consegue sacrificar o seu prazer para alegrar uma pessoa que está precisando do seu tempo ou de sua ajuda?
Infelizmente quando você diz a algumas pessoas que você tem Parkinson eles imediatamente começam a tratar como se você fosse um doente terminal que precisa urgentemente de ajuda ou começa a te ver como uma pessoa que náo pode ser mais sociável. Algumas pessoas acham que eles não podem tirar de você uma amizade completa que talvez vai ficar faltando alguma coisa que você não vai conseguir completar porque sua mente e seu corpo,  supostamente, não estão em plena faculdade mental.
Eu sei que vocês estão pensando: Isso não acontece. É puro preconceito pessoal. Sáo coisa que você cria devido a sua autopiedade. Mas não é.
Por isso é que muitas pessoas que possuem Parkinson se sentem sozinhas pois quando estão precisando de ajuda, conselho, amizade, amor e afeto as pessoas se distanciam. E quando isso acontece é muito preocupante pois você acaba se trancando em casa e deixando de fazer atividades e praticar suas vontades por medo do que os outros vão pensar ou por náo ter ninguém para te acompanhar.
Náo se apequene. Náo fique sozinho. Saia de casa, mesmo que seja para respirar o ar puro de uma caminhada.
Mas tente fazer o seguinte: Quando estiver se sentindo sozinho, triste, melancólico ou estiver sofrendo com a falta de efeito dos medicamentos ou com algum sintoma do Parkinson, saía de casa e vá ajudar alguma pessoa que precisa de ajuda. O melhor modo de a acabarmos com nossa solidão e termos consolo é por ajudar outros.
Quando digo ajudar outros é em todos os sentidos. Seja com uma visita em casa, seja em ouvir o problema de outras pessoas, seja fazendo bem com alguém de fé ou um desconhecido, seja financeiramente. Mas faça de coração sem esperar receber nada em troca.  O grande segredo de amar ao próximo é esse: Ajude-os sem esperar receber nada em troca. Se você o fizer e sentir prazer no que Fez e náo sentir falta de alguma vantagem financeira isso já será um ótimo começo.
Nunca desista de ajudar as outras pessoas. Eu sei que temos os nossos problemas e a nossa rotina mas tenha certeza de uma coisa: Ajudar outras pessoas de alguma maneira náo vai acabar com a sua doença ou talvez uma situação grave que você esteja enfrentando, mas vai você ter uma sensação de prazer que você nunca esperou ter e isso concerteza vai lhe dar fôlego para continuar caminhando e nesse a partir disso você terá muitos amigos em que muitos desses você poderá confirmar e estará rodeado de pessoas que vão querer sua presença e sua confiança, simplismente por você ser você.

 

Quando querem transformar estupidez em recompensa...

Sempre da opinião de que as pessoas que concordam com tudo o que você diz ou faz e fazem isso demonstrando uma certa alegria por talvez ver você feliz são pessoas que não o amam verdadeiramente. A ideia de ficar cheio de orgulho e momentaneamente feliz com a afirmativa as suas conjecturas lhe levam a ter uma falsa realidade de que e a pessoa gosta de você.
Tenha muito cuidado com as pessoas que náo duvidam de você. Com as pessoas que aprovam e incentiva tudo o que você faz. Esses pessoas náo querem ver sua evolução. Náo querem que você progrida. Náo lhes interessa ver você se tornar melhor do que você já é. Querem que você se apequene de forma a fazer sua miudez uma forma de consolo para ele próprio.
Gerar dúvida sobre você mesmo, mostrar que você está errado e que náo deve proceder de alguma forma que você acredita estar certo lhe faz crescer. Lhe faz ser uma pessoa, uma homem, um ser humano melhor. Quando você possui amigos, parentes ou outros que dizem pra você que você está errado e que você precisa pegar um outro caminho, são essas pessoas que acreditam em você e que principalmente te amam.
Quando você é colocado a prova sobre suas verdades o quando suas atitudes são diferidas por outros você conhece o sentimento de humildade e entende que você precisa ser mais forte do que as dúvidas jogadas em cima de você. Quando uma pessoa diz que você está errada e que você deve proceder de outroa forma é porque ela se importa com você. Até esse ponto concordamos. Mas e se você realmente achar que está certo? Isso quer dizer que a pessoa náo lhe quer bem? Ou que ela propositamente quer que você náo alcance seus objetivos?
A resposta é NÁO. Assim  como você erra outras pessoas também erram. Talvez e muitas vezes tentando acertar. Mas mesmo errando ela acaba de alguma maneira nos ajudando. Como assim? A partir do momento que alguém dúvida de você,  nesse momento você tem que se reinventar, estudar e assumir aquela verdade que só você acredita. E quando alguém duvida de você o seu empenho em provar que você está certo, e se o está, aumenta sua fé no que você acredita.
Pronto! De uma maneira ou outra a pessoa que náo concorda com tudo o que você diz ou duvida das coisas que você fala são as pessoas que mais querem sua evolução.
Evolução, uma característica de como diz Darwin é daqueles que se adptam melhor as mudanças. E essa `evolução` náo em sentido de resultados após milhões de anos mas podemos dizer que é em sentido evolucionista da espécie humana, nesse caso de se adptar a problemas que enfrentamos  diariamente.
Tenha cuidado com o número de pessoas que você adiciona no seu Istagram, no facebook ou qualquer rede social. Não acredite em números que podem ser acrecidos de maneira arbitrária ou por apenas vaidade.
Quando alguém me diz com todo orgulho que possui 500 ou mais amigos no facebook eu fico me pergunto:
- Quantos são realmente amigos? Quantas dessas pessoas você relamente pode conversar de sues problemas e de suas aflições? Quantas pessoas dessas que são amigos de seus amigos realmente se importam ou se quer sabem se você está vivo? Quantas dessas pessoas você pode visita-los e chegar em sua casa e abrir a porta da geladeira? Isso mesmo, abrir a porta da Geladeira. Quando eu faço amizade com alguém o `abrir a geladeira` na residência dele, seja ele casado ou solteiro me eleva a um nível maior de amizade. Näo me perguntem porque eu tenho esse termômetro social. Também náo sei.
O que eu sei que amigos, amigos de verdade que você pode confiar eu duvido que uma pessoa possua mais de 15. Isso se a possuir.
Quando você banaliza as amizades para se tornar popular você as torna totalmente superficiais e quando você se dá quanto está no meio da multidão e se sentindo só.
Para muitos náo importa. Importa sim ter um número fictício de amigos que náo conhecem para envaidecer a própria alma onde ao mesmo tempo mostra que essa mesma pessoa possue uma carencia e uma solidão incontrolável que apenas pode ser substituída pela crença nas próprias mentiras. Mas isso que a frase popular diz: Que uma mentira repetida várias vezes se torna verdade, mas neste caso esta verdade nunca será absoluta.
 
 

Retomando as Atividades...

Saudações Amigos,

Após um longo período sem atualização no blog, estou retornando as postagens, durante este tempo me  dediquei a alguns projetos paralelos, vivenciar novas experiencias, reativar velhas amizades e o mais importante relacionado diretamente com o blog, tanananan.... o lançamento do meu livro::

Entrando no Parkinson de Diversões - 

Não é a vida como está e sim as coisas como são

Lançarei a segunda edição no final desse ano de 2017, o livro já está revisado e pronto, basta apenas a revisão da editora. No final deste mês, novembro, colocarei aqui no blog todos os detalhes, para quem tiver curiosidade de ler.
Mas nunca me esqueci deste canal tão importante nesta minha vida de Parkisoniano, compartilhar minhas experiencias, situações vividas algumas engraçadas outras nem tanto. 
 E espero que com minha "vasta" experiência medicamentosa possa compartilhar com vocês a situações novas e paradigmas diferentes. Espero que as situações que citarei que vivi  nesses últimos meses  sejam de ajuda para muitos que irão ler e o será para mim, pois sempre os comentários que  postam são de grande valor e peso em  no nosso conhecimento da doença.
Mas como é padrão desse site, não pensem que vou massacra-los com histórias tristes e depressivas mas histórias reais com um humor pois como sempre digo, rir de si mesmo é o principio da sabedoria.
Obrigado a todos por terem esperado com viva expectativa do meu retorno, espero que a partir das próximas histórias estejamos nos fortalecendo..
Um tremendo abraço a todos e até breve...

domingo, 11 de setembro de 2016

Um Barco a Motor precisa usar os Remos?

Quando mudamos nos tornamos mais fortes. 
Essa é uma verdade que eu sempre discursei mesmo antes do aparecimento do Parkinson. 
Eu acredito fielmente que toda a mudança é pra melhor. Sim, exatamente. 

Mas, talvez alguns de meus leitores deve  estar pensando:

-  tá, nem toda a mudança é pra melhor. 

Quando digo que toda mudança é para melhor, na questão pessoal nos tornamos melhor em crescimento, madurez, sabedoria. Sempre, todas as mudanças, nos fortalece. Por isso, vou ainda mais longe: Toda a mudança é para melhor.
Como disse Darwin: Sobrevivem apenas aqueles que se adaptam-se a mudanças.

Quando nos confrontamos com situações difíceis ou somos atingidos pelos reverses da vida, temos a tendência de aceitar a situação e continuar em frente. As vezes, enfrentando uma depressão ou mesmo fingindo e não reagindo ao problema que te corroí.

É isso que temos de fazer. Quanto antes nos adaptarmos as mudanças mais será fácil de evoluirmos para o próximo estágio da nossa vida.
Se você foi diagnosticado com Parkinson não entre em conflito com Deus ou com o universo conspirador ou pragueje sobre seus amigos. Tente entender que a vida continua. Que o mundo não vai parar para sua doença. O transito vai continuar a existir, o padeiro da esquina da sua casa vai continuar a fazer pão todos os dias, a sua secretária não vai deixar de sempre dar um bom dia risonho mesmo sabendo que é falso. O mundo continua girando.

Por isso quem é diagnosticado com o Parkinson passa certamente no processo que chamamos de " 5 estágios do luto". 

1 -  Raiva
2 - Negação
3 - Barganha
4 - Depressão
5 - Aceitação

Certamente você passará por esses estágios. E uma coisa que é muito importante não confunda "aceitação" com "depressão". Não ache que talvez o fato de você não se importar com nada seja um quadro de "aceitação". 

Trate sua depressão!

A depressão é um problema físico e neurológico. É tratado com remédios. E não me venha com a "historinha" de que você já toma muitos remédios para o Parkinson e não vai tomar mais um remédio. 

Trate sua teimosia!

Não pare de tomar medicação e tome-a nos horários indicados pelo seu médico. Eu compreendo que você talvez ache isso uma bobagem, mas não é. Seguir com a medicação correta e nos horários é um grande fator para a estagnação da doença. 

Trate de sua soberba!

Não acredite que você saiba de tudo. Não mude a medicação ou ache que sua doença não está evoluindo e que pode diminuir a medicação. A modificação e a mudança do processo sem consultar seu médico pode lhe trazer consequências irreversíveis.

Eu sei, eu sei. É difícil na prática. Falar é fácil.
Mas lembrem-se: você se tornará mais forte se adaptar-se a mudanças.

O Parkinson com o tempo lhe dá a oportunidade de se adaptar com várias situações. Eu já tenho problema de coordenação o que as vezes faz com que o meu toque de violão seja indecifrável. Quando isso acontece saio do violão e vou para a meia lua (instrumento igual um pandorim) porque é muito mais fácil para quem está tremendo tocar um pandeiro. Tenho puxões na rosto, que são movimentos involuntários, que eu disfarço como se fosse um bocejo. Devido a enrijecimento das pernas que aconteceu nesses últimos meses não consigo jogar futebol, mas consigo ser um ótimo goleiro.

Infelizmente problemas de limitação vão surgir, o levando a deixar de fazer coisas que antes gostava.

Aqui eu friso: Não estou dizendo que deve desistir de fazer o que gosta por causa do Parkinson. Estou dizendo apenas que o seu mundo não precisa parar, mesmo não conseguindo fazer isso ou aquilo. 

Se lutou, enfrentou corajosamente os desafios e mesmo assim não conseguiu, não se entregue. Não deixe seu mundo parar, faça alguma coisa que compense isso e que lhe deixe feliz.

Citando Shakespeare: Plante o seu jardim e faça o seu trabalho, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Não sou mais criança... a ponto de saber tudo!!!

Existe no mundo parkinsoniano que a maioria das pessoas não entendem. Quando tive os primeiros sintomas que é tremor leve em um dos membros, boca sempre entreaberta, lentidão ao se movimentar entre outros sintomas que não são assintomáticos.

Um dos sintomas mais curioso que estou tendo é o movimento involuntário da face. Simplesmente isso. Você começa a falar e subitamente vou rosto repuxa. E nãó é um repuxado qualquer não, é um repuxão que até sua cabeça balança. Consequentemente a sua frase vem com aquele som do repuxão.

Comecei a pesquisar quando é que esses repuxões na face se tornavam aparentes e percebi que poderia ser por dois motivos. Ou era a medicação fraca ou era a ansiedade. Acabei descobrindo que era os dois. 

Cuidado com a medicação. Ela é importantíssima. Tem que ser usada. 

Não me venha com a "historinha" de que você não quer atingir o seu estomago com tanto remédio, ou que esses remédios fazem mal para a cabeça ou que são simplesmente produtos  que originam-se de uma corja de empresas farmacêuticas querendo vender o seu material.

Parkinson, é uma doença neurológica, física. Precisa de remédios. Caso contrario não vai viver com qualidade. Remédios são feitos para curar e para dar alívio. Não deixa ficar no ostracismo devido a sua doença. Tome os remédios solicitados pelo seu médico. Se tiver achando estranho vá em dois ou trez ou quatro especialistas na área, mas vá!

Eu descobri que o Parkinson é uma doença e não um mal. Mas ela é muito sorrateira. Ela é um velho lobo do mar. Você acha que está bem, que você está controlado? Você então começa negligenciar alguns remédios.. Acha que pode por quanta própria diminuir a medicação só um pouquinho. Está feliz, realizado e exuberante criando uma falsa ideia que você está com a doença controlada. Você sai, se diverte, encontra os amigos, você chora vendo um filme e ri, mesmo não entendo a piada, de qualquer besteira que alguém conte. Nesse momento você está vencendo a doença.

Vem a ressaca. Aquela medicação que você diminuiu agora está fazendo diferença. Você se torna mais lento, movimentos involuntários, problemas em caminhar e desenvolver uma fala. Começam a aparecer sintomas que não existiam.

Então, o que você faz?

Volta a tomar toda a medicação novamente. E pior, volta tomando um comprimido a mais achando que isso vai melhorar. A partir daquele momento aquele novo sintoma vai  continuar com você.

Nunca, eu disse: Nunca tente parar a medicação. As consequências podem ser irreversíveis.

Esse "vai e vem! de confiança aconteceu comigo e hoje possuo algumas consequências do meus atos e aprendi que devemos fazer qualquer alteração com a indicação do médico. Se não está satisfeito com o seu médico, procure outro em que você confie.

E aproveitem enquanto você pode. Utilize esse tempo para descobrir coisas novas, melhorar a qualidade  de vida e façam coisas que te deixem feliz. E o que te deixa feliz? O que te faz acordar motivado?

Descubra. E então parta para essa jornada. Lembre-se. Tudo passa, tudo sempre passará. O mundo começa agora.

Não quero lembrar que eu minto também

NÃO!!!
NÃO!!!
Não é ai tio Rui!!!

Eu estou aqui!!!`

Por um momento fiquei paralisado procurando e esperando que alguém fosse me atacar.

Em meio a uma estação de verão que passara na casa do meu irmão, que na época morava em Guarapari.

Sim, sim, sim. Eu  sei que vocês vão falar que é praia dos mineiros. Mas isso não é totalmente verdade. Mas confesso que 3 dos meus vizinhos que há muito tempo não vejo na rua, consegui, em Guarapari, conversar com eles durante horas.

Normalmente acordo cedo, por volta das 06 da manhã. Aproveito que estou na casa do meu irmão e vou malhar um pouco. Como no bairro não havia academias comecei com exercícios em casa mesmo.  Por fim, encontrei uma academia a ceu aberto bem na orla da praia com os pesos, barrar e alteres feitos com cimento.

Era totalmente bruto e rustico mas sinceramente: Funcionavam

Eram ótimos para a musculação. Nada mal por ser a beira de praia.

Nesse dia fui na praia com minha sobrinha. Ela tinha uns 10 anos, mas era uma loirinha de olhos claros. Não tinha como confundi-la. Estávamos curtindo a praia e resolvi malhar um pouco nesse espaço improvisado. Deixei a minha sobrinha brincando na areia e mesmo um pouco afastado ainda fiquei de olho nela. Estava cuidando dela pois o pai estava trabalhando.

Já a alguns 40 minutos de malhação, começa uma ventania forte. A praia já estava ligeiramente ocupada.. Então corri para ver se esteava tudo bem com minha sobrinha.

De longe avisto aquela menina loirinha construindo um castelinho lindo de área. Até me surpreendeu. Fiquei impressionado com a destreza e habilidades que essa pequena criança tinha em construção. Pensei: Vai ser engenheira.

Veno aquela obra prime que deveria ter sido suada e vigorosamente construída, resolvi dar uma de "tio" pensei: Vou chegar lá e pisar no castelinho

Eu sei, eu já sei disso. É maldade. É coisa de tio mesmo, sem noção.  Sei que vocês vão pensar.

Então lá fui eu. Determinado, confiante em destruir o castelinho de minha sobrinha. Andei em passos largos para não dar tempo de virar.  Tomei cuidado para ela não ver eu chegando, então cheguei pela lateral e pisei firme no castelo e derrubei-o. Enquanto pisava na segunda torre do castelo escutava uma voz bem fraquinha, mas com um impacto muito grande, dizendo

NÃO!!!
NÃO!!!
Não é ai tio Rui!!!
Eu estou aqui!!!`

O meu celebro calculou essa informação de uma maneira tão rápida que a criança a qual eu não conhecia em que eu estava destruído o seu castelo nem conseguiu chorar. Saltei do lugar onde estava o castelo e eu e essa criança começamos a procurar os pais dele. Elas para falar o que eu fiz e eu pra fugir.

Corri, desesperadamente,  peguei minha sobrinha pelo braço e disse:

- Vamos embora. Estou passando mal.

- Tá bom tio, eu queria ficar mais, mas eu sei que o senhor está doente.

Eu disse:

- é isso mesmo menina, mas não para de correr!!!

Não sou de sensibilizar os outros com a doença, nunca justifiquei meus atos por causa do parkinson. Mas se voce tiver a oportunidade de utilizar ela a seu favor, utilize. 

Então, corra atras dos seu direitos. Existem na lei várias vantagens e direitos que um portador de parkinson possui. Irei abordar a maioria delas nos próximos posts.

Se voce já carrega a doença, então aproveite o para extrair o máximo de benefícios que voce tem direito.



sábado, 3 de setembro de 2016

Nada mais vai me ferir.

Não possuo hãbito de ler as bulas dos remédios que eu tomo. Não acredito em todas as coisas que estão escrita neste papel. Não é que eu duvide da reação ou da utilização dos medicamentos. Mas  também acredito muito no efeito placebo. 

Você pega a bula, lê-a e vai principalmente no assunto “ efeitos colaterais” onde você fica abismado achando que todos aqueles efeitos colaterais vão acontecer com você. E nossa mente acaba trabalhando com a sua preocupação e tendenciando a você sofrer daquilo que você acha  que vai sofrer. A mente é um sistema absurdo.

Os efeitos colaterais de remédios são tão expansivos que acho que eles colocam na bula todas os efeitos possíveis e imagináveis porque se ocorrer algum deles com alguém a farmaceuteca estará resguardada.

Porque estou falando de descrições de bula? 

Bem, porque estive no shopping semana passada, depois que já tinha recebido o meu salário e estava feliz, pois diferentemente de vários dias do mês, aquele momento eu estava em condições de comprar o que eu quisesse e comer e me esbaldar. Já sabendo que depois de pagar as dívidas mensais, em menos de 10 dias, voltaria para a estaca zero. Mas tudo bem, deixe-me aproveitar os meus pequenos momentos de prazer.

Infelizmente eu tenho um sério problema em administrar o meu dinheiro. Quando tenho dinheiro na mão se torna um vendaval.  Acho que preciso comprar tudo o que aparece pela frente. Várias vezes vou ao supermercado, pego todos os produtos que posso, desde a um chips doritos até um caderno de capa mole fraseado. Quando chego no caixa para pagar, paro e me pergunto: Eu realmente preciso disso? Isso realmente é necessário? Nesse momento eu vou retirando tudo do carrinho que é supérfulo e adivinhem: 

Só sobrou o pepino e dois tomates. 

Deixo tudo lá e levo as verduras. Isso porque é saudável.

Quando vou no shopping com dinheiro no bolso eu fico imaginando a sensação que uma mulher tem quando entra em um lugar daqueles (mas elas tem essa sensação com ou sem dinheiro) e fico vendo nas vitrines tudo o que eu queria comprar que não tem a menor necessidade.

As vezes estou em casa e gosto de assistir ao shoptime, (aquele famoso canal de compras Da-lhe  Botine) nesse momento fico observando quanta coisa diferente existe, que eu não sabia e fico mais atordoado ainda  quando vejo que aquilo que eu não conhecia é "essencial" para minha cozinha agora.
]
Eles tentam lhe convencer que você precisa de um acessório, que você nunca precisou mas agora você não consegue mais cozinhar direito sem ele. E você precisa comprá-lo, porque o tempo de promoção está se esgotando, já foram vendidas 33 unidades e são apenas 40 no estoque.

Quando olho já estou no "canal do boi'  vendo cabeças de gado para comprar para uma fazenda que eu não tenho e no sofá segurando uma faca "Ginso", que corta tudo desde um tomate até um cano de cobre, e fazendo pipoca  na minha nova pipoqueira "SunKitchen".

Minha família sempre me pressiona a não gastar dinheiro a toa. A ser controlado, a tentar guardar mais um pouco por mês. Tudo o que eu compro desde coisas pequenas é criticado por minha família, perguntando: Pra que voce precisa disso?

Eu nunca tenho uma resposta. Por que não há´uma resposta certa para isso.

A poucos dias atrás, estava eu no banheiro, utilizando-o, quando me deparei com uma caixa do remédio que eu tomo para o Parkinson muito conhecido que se chama SIFROl. Bem, como todo o ser humano faz quando está no banheiro, e não tem nada pra fazer, você normalmente pega um desodorante, um shampoo, um condicionador ou qualquer produto que estiver perto para ficar lendo aquelas letrinhas escritas no verso da embalagem. Sempre com aquele “ fabricado na Argentina”.

Como já havia lido todos os rótulos decidi ler a bula do remédio, evidentemente com uma pitada de curiosidade antiga. Enquanto lia a parte de efeitos colaterais me deparei com o seguinte efeito: 

Compulsão para compras.

Quer dizer, tudo estava explicado. Aquela resposta que eu não tinha quando perguntavam porque eu gastava a toa, agora estava respondida.:

- Desculpa, mas é efeito colateral do meu remédio. Não posso parar de tomá-lo.

Mas também percebi que esse efeito também passam rapidinho quando você não possui dinheiro pra gastar, alias, ele nem se manifesta.

É um circulo vicioso mal escrito pelo universo que os parkinsonianos tem de enfrentar.

E uma frase ótima que eu ouvi sobre "vaidade": È você comprar uma coisa que você não quer com um dinheiro que você não tem, para mostrar a uma pessoa que você não gosta aquilo que você não é.

Parkinsoniano, não são terreaqueos, são parkinsonianos.

Eu rabisco o sol que a chuva apagou

Uma das coisas mais gravadas em minha memória da época da minha infância era a convivência que tinha com a  minha vizinhança. Morávamos em uma rua  sem saída onde proporcionava que brincássemos ao ar livre. O asfalto já era pintado com as marcações de uma quadra de futebol. Mais acima na rua tinha a marcação para vôlei. E assim todos os finais de semana a vizinhança toda saia na rua para brincar, praticar esportes, conversar e ficar a toa.

Era maravilhoso. Sempre tinha alguém que trazia água gelada ou da mangueira para refrescarmos do calor de jogar bola. Quando chegava a noite brincávamos de pique esconde. Quando não tinha nada para fazer, principalmente, para nós que éramos crianças a solução eram duas: ou ver TV ou ir pra rua e conversar com os amigos. Quer dizer, tínhamos vídeo-game e quando eu digo vídeo game quero dizer atari ou micro system com o famaso Sonic. Lógico, o vídeo game não era nada comparado ao que é hoje mas, mesmo assim, não era mais forte do que jogar uma brincar na rua.

Um das coisas que eu mais sinto saudade daquela época, é que não tínhamos internet via celular, e por isso quando faltava a Luz todos saiam na rua para conversar e matar o tempo e quando a luz voltava tinha até aquele sentimento de :  Poderia  ter durado mais, que pena!!!

Hoje gosto quando a luz acaba. É o momento que mesmo dentro da família temos a chance de conversar um com o outro sem estarmos conectados. Não estou dizendo isso porque não gosto de tecnologia, eu trabalho como analista de TI. É porque esses momentos de comunhão e de desfrutar da presença de outros está cada vez mais incomum.

Eu sei, eu sei.
zHoje temos acesso a todo tipo de informação. Quando temos uma dúvida, não perguntamos a ninguém, pegamos o nosso celular e a resposta direto no Google. Temos muito mais acesso a informação e melhor, todos as classes sociais tem acesso a este mundo digital de conhecimento.

Quando cumprimentamos uma pessoa qualquer, falamos: “Olá, como vai?” ,  automático, impensável e desprovido de qualquer interesse pelo outro.  Quando é que queremos saber como realmente a pessoa está?  O que ela está sentindo naquele momento e o que voce pode fazer para ajudá-lo. Quando é que mostramos real interesse pelo nosso próximo?

Temos 500 amigos adicionados no nosso whatsup mas quantos são realmente amigos. Quando voce tem realmente o interesse de como ele está se sentindo. Hoje ganhamos na tecnologia e acesso a informação mas esquecemos que muitas experiências aprendidas são por conversarmos com pessoas próximas a nós, família ou não. Quantas vezes já conversamos com desconhecidos no ponto de ônibus em que a história de vida dela lhe dá um exemplo de vida quando voce menos esperava;  e te ajudou de alguma forma que o google não te ajudaria?.

Eu fico vendo todas as pessoas com o telefone na mão e penso: Legal!!! A tecnologia é pra isso mesmo. Cada vez mais vem para diminuir o tempo de desperdiçado e nos faz ganhar tempo em atividades que demoraríamos muito para executar. Por exemplo, não precisamos mais ir no banco. Não é fantástico, quem diria que eu deixaria de pegar ônibus ou carro, estacionar, enfrentar uma fila no banco e conseguir fazer isso hoje tudo pelo celular que esta no meu bolso.  Quem diria que eu não precisaria sair de casa para comprar passagens áreas, fazer compras, pedir comida. Digo até mesmo pelo próprio celular. Quem diria que cada um teria o seu próprio telefone e cada um pode ser achado 24 horas por dia sem voce perder tempo.

Tempo. É isso que buscamos e nos deixa um paradoxo atualmente. Hoje, temos a tecnologia para encurtar nosso trabalho. E qual é o objetivo de diminuir nosso trabalho!

- Ganhar tempo!!!

E o que fazemos com o nosso tempo:

- Ficamos cada vez mais utilizando a tecnologia, distraídos com jogos e redes sociais.

É um circulo viciante.

Em uma noite bucólica de um final de novembro, fui jantar na casa do meu irmão. E quando eu cheguei estava 7 pessoas na mesa, distribuídas geometricamente e todos usando o celular e utilizando o whats.

Silencio, Era única coisa que ouvia.

Risadas. Foi o que ouvi logo em seguida. Mas, notei que todos riram ao mesmo tempo e depois de poucos segundos percebi que todos estavam no mesmo grupo...

Fiquei bestificado.

Minha família, em volta da mesa, conversando entre si pelo whatsup. O que eu poderia fazer:

Pedi para me adicionarem no grupo pois queria almoçar com eles.